Análise: Ações da Prefeitura de Vitória em prol dos ciclistas

10 de março de 2014

Notícias

No últimos meses, a Prefeitura de Vitória fez várias ações relacionadas ao uso da bicicleta na capital. Bicicletários em formato de carro, campanha do ciclista e bike box são algumas delas.

Faz tempo que eu queria fazer um post para emitir a minha opinião pessoal sobre tudo o que foi feito, mas como eu estava viajando de bicicleta pela Bahia, ainda não tinha tido a oportunidade.

Pois bem, chegou a hora:

1 – Bicicletários em formato de carro

bicicletario-em-forma-de-carro-em-Vitoria-ES-Foto-Joao-Paulo-Locately

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Além de permitir que ciclistas prendam as suas bicicletas com segurança, este bicicletário ainda educa. Um carro estacionado ocupa o espaço de no mínimo oito magrelas, e isso é genialmente demonstrado.

Seria interessante se a prefeitura cumprisse a promessa de mudar os bicicletários a cada 30 dias. Já que resolveram não mudar, poderiam colocar mais em outras áreas da cidade.

Nota: 7

2 – Bike box e sinalização de via compartilhada da Adalberto Simão Nader

Bike-Box-Vitoria-Av.-Adalberto-Simao-Nader-Foto-Andre-Sobral

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Essa ação reafirma o direito da bicicleta de trafegar nas vias na ausência de ciclovia, ciclofaixa, acostamento, ou quando não for possível utilizar a ciclovia, como prevê o artigo 58 do CTB.

Outro ponto importante é a sinalização dos bike boxes, permitindo que os ciclistas larguem à frente dos carros parados no semáforo. Tal medida tem como objetivo evitar que ciclistas sejam ultrapassados de forma incorreta ao largar no sinal verde, reduzindo os acidentes.

As únicas críticas que eu tenho para esta ação são:

1 – Os carros continuam “voando” na Adalberto Simão Nader. É preciso diminuir a velocidade da via (com radares) para que ciclistas e motoristas compartilhem a via em segurança.
2 – É necessário ensinar aos motoristas o que é um bike box. Não é raro ver motoristas parados em cima da área exclusiva para os ciclistas.

Nota: 7

3 – Nova sinalização e fiscalização da ciclofaixa da Serafim Derenzi

2014_01_13_16_13_16_843-1246564

 

 

 

 

 

 

 

 

Ponto bom: Depois de anos sendo ocupada por carros estacionados sem que ninguém fizesse nada, a gestão atual passou a multar qualquer carro estacionado no local.

Pontos ruins:
1 – A nova sinalização horizontal é irregular e coloca a vida dos ciclistas em risco. Para se ter uma idéia, há pontos em que a ciclofaixa tem apenas 20 cm de largura. As irregularidades fizeram com que o Ministério Público cobrasse da prefeitura a imediata regularização da sinalização.

2 – Os carros que ficavam estacionados na ciclofaixa, agora ficam estacionados no outro lado. Moradores da região me contaram que é comum ônibus invadirem a ciclofaixa para não colidir com veículos que invadem a contramão para desviar dos carros estacionados.

Nota: 2

4 – Campanha “Respeito todos na via”

A campanha de respeito ao ciclista da Prefeitura de Vitória foi tão ruim, que repercutiu negativamente em sites referência no assunto pelo Brasil afora. Clique AQUI e AQUI (do meio para o final) para ver.

O vídeo teve 97% de rejeição entre os usuários do youtube, e mesmo assim, a Prefeitura não voltou atrás na orientação sobre pedalar próximo ao meio-fio.

Veja aqui a campanha da Prefeitura de São Paulo, que orienta exatamente o contrário:

Nota: 0

5 – Ciclofaixa de lazer aos domingos e feriados

Capturar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

É maravilhoso ver famílias inteiras curtindo de bicicleta por áreas que antes só passavam em alta velocidade dentro de seus automóveis. Estas pessoas agora podem ver a cidade com outros olhos e sentir prazer em visitar os mesmos lugares por onde passam todos os dias.

Outro ponto importantíssimo da ciclofaixa, é fazer com que o cidadão sinta o “ar pesado” que fica na avenida após cada automóvel passar. Quando estamos pedalando, isso fica muito mais nítido, e com certeza nos faz pensar na poluição que emitiríamos ao tirar um carro da garagem.

Sem dúvidas a melhor medida tomada por esta gestão até o momento.

Nota: 10

, , ,