Naquele sábado não teve almoço!!!!! | Blog da Anette

Naquele sábado não teve almoço!!!!!

 

DSCN3714

Estava acordada há um bom tempo. Preferiu, ficar quietinha, imóvel, pensando, piscando as pestanas lentamente. O relógio marcando o tempo que demorava passar.

De um salto, o marido estava fora da cama. Fez umas flexões ridículas e convidou:

Hoje é sábado, vamos cortar o cabelo?

Ela relutou, parecia adivinhar.

Vamos, não. Acho que vai chover!!! Embora o sol estalasse de tão quente.

A contra gosto arrastou os chinelos pelo corredor até o banheiro. Casa antiga, não tinha suíte. Botou a mesa. O pão na cestinha. O queijo tipo Minas coberto por uma toalhinha bordada à mão. Amornou o leite, coou o café. Bebeu devagar.

- A manteiga acabou? Pergunto o marido com ares de surpreso.

Em 30 anos de casados, era a primeira vez que não encontrava a manteiga sobre a toalha germanicamente passada.

- Tá na geladeira, pode pegar?

Tirou a camisola, a mesma da noite de núpcias. A renda puída, os botões desmerecidos de tanto ficar de molho em água sanitária. Não tinha mais jeito ficou cinza, encardida. Colocou o vestido rosa pálido com florinhas azuis. Presente que ganhou no último Natal.

Enquanto fazia o trajeto até o salão olhou as plantas no parapeito das janelas, as crianças pulando na calçada, as mulheres fofocando na praça. Prazeres que não conhecia.

O marido tinha alergia a plantas, não podia ter filhos e afirmava aos quatro cantos que “ lugar de mulher é dentro de casa”.

O barbeiro sorriu o riso de sempre. Ainda namoravam quando começaram a cortar o cabelo na Barbearia do Juca. O marido preferia um corte reto, quase príncipe Danilo, que segundo ele era mais apropriado para um contador. Impunha respeito.

Na primeira vez que sentou na cadeira do barbeiro não sabia o que queria. Sabia que não queria cortar o cabelo castanho claro cacheado. Gostava de secar o cabelo ao sol, ver o brilho, brincar com os cachos.

O namorado, quase noivo, insistia.

- Corte, quero ver como fica, pode ser que você goste.

Ele relutou muitas vezes. Até que vencida, aceitou a sugestão do barbeiro.

- Meia cabeleira curta!! Sem saber do que se tratava, apenas, aceitou.

Os cachinhos caíram pelos ombros. Uma lágrima rolou sobre a bochecha. Nunca mais deixou crescer.

O noivo, quase marido, gostava do cabelo desbastado, com a nuca batida e reto no comprimento na altura das orelhas. Os fiapos que sobravam eram presos por uma tiara de tartaruga. Impunha respeito.

Anos após ano, o mesmo corte, a mesma tiara, os mesmos fiapos, a mesma dúvida – o que seria uma meia cabeleira curta?

O barbeiro morreu, filho o sucedeu no ofício, no sorriso e no corte.

Naquele sábado, o barbeiro estava atrasado. O marido ficou impaciente, afinal, isso poderia atrapalhar seus planos.

- Que planos? Ousou perguntar.

- Hoje é dia de tomar caldo de cana e comer pastel na feira, esqueceu?

- Impossível esquecer, pensou. Disfarçadamente revirou os olhos demonstrando cara de enjôo só em pensar no caldo de cana, no cheiro do óleo cansado de tanto fritar pastel, nas moscas, nos meninos pedindo um pedaço, nos cachorros farejando as migalhas.

O tempo se arrastava. Abriu uma revista, despretensiosamente. Folheou a primeira, a segunda, a terceira. Voltou para a primeira revista. Precisamente na página do anúncio com a mulher de vestido vermelho. O vestido pulsava. Seu coração também. Os olhos fixaram-se nos cabelos da modelo. Cabelo castanho claro cacheado. Sentiu uma tontura. Uma fração de segundo foi suficiente. Largou a revista no chão.

Saiu porta fora. Atravessou a rua. Ia comprar um vestido, fazer um permanente, uma escova progressiva, pintar o cabelo de ruivo, colocar um megahair, um corte egípcio. Se depilar inteira. Tomar um porre. Qualquer coisa que a fizesse esquecer os últimos 30 anos.

Da esquina ouviu o marido pedindo desculpas ao barbeiro.

- Ela não esta bem, coitada, esqueceu de colocar a manteiga na mesa.
Naquele sábado não teve almoço!!!

DSCN3705

Juro que não desejo que ninguém passe por uma situação semelhante, mas se acontecer, a solução para o almoço pode ser um paté de bacalhau ( Via Láctea ) e torradinhas Slim Toast. Mas, se o seu caso for um bom cabelereiro, deixe um comentário que eu passo o telefone do Gladston Medeiros.

Tags: , ,

Nenhum comentário :(.

Deixe uma resposta